Emater-MG realiza ações de proteção ambiental e preservação da água

Emater-MG realiza ações de proteção ambiental e preservação da água

No dia 5 de junho, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para chamar a atenção da população para os problemas ambientais e a importância da preservação dos recursos naturais. Os extensionistas da Emater-MG trabalham o ano todo na conscientização ambiental de produtores e trabalhadores rurais e sociedade em geral. Nesta agenda de trabalho, em 2020, foram atendidos 152,3 mil agricultores familiares, 610 organizações rurais e 5,2 mil pessoas de áreas urbanas.

A Emater–MG, vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) desenvolve diversas ações no estado, voltadas tanto para a promoção de práticas produtivas que não agridam o ambiente, como para a implementação de práticas de conservação e recuperação ambiental. A empresa atua diretamente junto aos produtores e comunidades rurais, por meio de ações que promovam o desenvolvimento econômico e social, aliado à conservação e recuperação dos recursos ambientais.

Esses atendimentos ocorrem por meio de atividades de assistência técnica e extensão rural, vinculadas a diversos projetos e programas. Entre eles se destaca o Projeto de Revitalização da Bacia do Rio São Francisco, que é desenvolvido em 200 municípios mineiros, desde 2005, em parceria com a Seapa e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Em imóveis rurais dos municípios que integram a área de abrangência de sub-bacias do Velho Chico, são implantadas práticas de conservação, proteção e recuperação do solo, da água e da vegetação nativa, como barraginhas e terraços (para captação, retenção e infiltração da água da chuva e controle da erosão do solo e do assoreamento de corpos d’água); adequação ambiental de estradas vicinais e cercamento e proteção de nascentes e de matas ciliares.

Em Fortuna de Minas, na região Metropolitana de Belo Horizonte,  desde 2018 tem sido feito um trabalho de Revitalização da Sub-bacia do Córrego de Areia. A iniciativa foi uma das ações que deram à Emater-MG o primeiro lugar, na categoria Destaque Estadual, do 11º Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade e Amor à Natureza, este ano.

O objetivo do projeto, no município, é aumentar a disponibilidade e a qualidade das águas da sub-bacia hidrográfica e, indiretamente, da própria bacia do Rio São Francisco, agindo localmente. As intervenções incluem práticas de conservação de solo e água como a construção de bacias de captação de enxurradas, de terraços e a adequação ambiental de trechos de estradas vicinais. No total, foram feitas 1,3 mil bacias de captação, 78,4 quilômetros de terraços, 6,4 quilômetros de trechos de estradas vicinais adequados ambientalmente, sendo 69 produtores diretamente beneficiados com o projeto.

De acordo com o extensionista local da Emater-MG, Paulo César Martins, as ações ajudam no melhor aproveitamento das chuvas. “Houve uma melhoria das pastagens, abaixo das barraginhas. Mas nós consideramos como o principal ganho a diminuição de água de chuva escoando para os córregos, ou seja, diminuiu as enchentes, a erosão e as estradas rurais se mantém mais conservados sem as enxurradas”, comenta o extensionista. Em 2020, foram beneficiados os municípios de Pedra do Indaiá e Funilândia, com 6,1 mil metros de cercas em matas ciliares e matas de topo e proteção de 38 nascentes.

Crise hídrica

Num ano que o país enfrenta a pior crise hídrica dos últimos 111 anos, devido à falta de chuvas, a Emater-MG tem ainda ações no Programa Pró-Mananciais. O convênio com a Copasa visa melhorar a qualidade e quantidade de água nos mananciais, que servem para captação do sistema de abastecimento operado pela companhia de água.

A Emater–MG elabora diagnósticos ambientais das propriedades rurais e é encarregada pela capacitação técnica de operadores de máquinas na conservação da água e solo e pela orientação de produtores sobre práticas de produção agroecológica. Até o momento, foram realizados 184 diagnósticos ambientais de imóveis rurais em 15 municípios. Cento e cinquenta operadores de máquinas de 34 municípios foram capacitados.

Outra iniciativa importante é o Programa Irriga Minas, um convênio entre o Ministério da Agricultura, junto a Secretaria de Estadual de Agricultura, sendo a Emater-MG a responsável pela execução do programa nos municípios beneficiados. O convênio visa à aplicação de tecnologias de irrigação por gotejamento em áreas de 500 m² para agricultores familiares. São priorizados os agricultores familiares que participam em programas de compras institucionais, como o Programa Nacional da Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), além de outros projetos.

Em 2020, foram capacitados 50 extensionistas em manejo de irrigação localizada e beneficiadas 495 famílias com kits de irrigação, em 41 municípios das regiões de Januária, Janaúba, Montes Claros e São Francisco,  que costumam sofrer com severas estiagens.

Já com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia foram feitas ações de terraceamento e construção de barraginhas, no Assentamento Estrela do Norte, em Montes Claros, que beneficiaram cerca de 100 famílias. O técnico local da Emater-MG, José Carlos Dias Santos, diz que a iniciativa trouxe ganhos não só ambientais como também econômicos e sociais. “A gente obteve com esse trabalho uma maior durabilidade das pastagens, além de garantir produção e renda para os assentados. Assim conseguimos manter as famílias no meio rural e, ambientalmente, é indiscutível o valor das ações, porque os sedimentos que corriam para os leitos dos córregos e rios estão sendo descompostos nas barraginhas e terraços”, argumenta.

Em sua ação extensionista, a Emater–MG também prioriza o uso dos princípios da sustentabilidade e de segurança alimentar. O trabalho na área de agroecologia contribui para a implementação de processos de transição para sistemas produtivos sustentáveis, baseados em manejo adequado aos agroecossistemas e à biodiversidade. Em 2020, a Emater–MG orientou 35,1 mil agricultores familiares em atividades voltadas para a produção agroecológica.

Os extensionistas da empresa trabalham ainda em projetos de Zoneamento Ambiental Produtivo (ZAP), incentivo às práticas conservacionistas e agricultura de baixo carbono, ações de educação ambiental entre outras iniciativas para o desenvolvimento de uma produção mais sustentável e com respeito ao meio ambiente.

 

 

Flávia Freitas - Ascom/Emater-MG

Foto: Divulgação/Emater-MG